O programa, com duração de 8 meses, ofereceu bolsas e um processo de formação e orientação para que os residentes desenvolvessem projetos de impacto na gestão de pessoas em governos. Sob a coordenação da Profª. Regina Pacheco, a primeira edição da RCH respondeu ao desafio: como conseguir o engajamento ativo de profissionais no setor público, sem recorrer a incentivos financeiros, de forma a promover mudanças em direção a um Estado mais produtivo e efetivo? Os 14 participantes foram divididos em 4 grupos com o objetivo de desenhar experimentos que respondessem ao desafio proposto, bem como testá-los em órgãos públicos.

Os experimentos foram três: Engajamento dos policiais do batalhão de Choque no Rio de Janeiro, Engajamento das agentes carcerárias das prisões femininas, também no Rio e Engajamento dos fiscais ambientais da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (SEMACE) também no Ceará.