Conheça algumas das principais realizações do instituto para transformar a gestão de pessoas no serviço público brasileiro

Carta da direção

O ano acaba no próximo sábado, e esta, portanto, será uma semana de muitas retrospectivas, inclusive a que a República.org apresenta abaixo, com um resumo do que fizemos de mais relevante em 2022. Aqui, por ora, limito-me a uma curta lista de palavras que remetem a temas que nos ocuparam durante o ano que se encerra. Este ano, falamos de: passado, desmonte, assédio, desorganização, atraso, chuva, deslizamento, carnaval, vírus, guerra, Ucrânia, Rússia, rainha, orçamento, secreto, fome, floresta, propostas, debate, bandeira, apuração, burocracia, democracia, times, lideranças, inteligência, artificial, futebol, Argentina, cultura, serviço público, escritores, servidores, valorização, arte, desenvolvimento, diversidade, espírito público, construção, reconstrução, pessoas, transição, política, políticas e futuro.

Algumas dessas ideias se tornarão apenas lembranças, enquanto outras resistirão à passagem do tempo. Na República.org, estamos construindo um 2023 com as ideias de democracia e reconstrução no centro, sustentadas por aquilo que acreditamos ser o melhor (ou possivelmente o único) caminho para chegar lá: um serviço público presente e efetivo, feito por pessoas diversas, valorizadas, bem geridas e dotadas de espírito público. Não há caminho para o nosso desenvolvimento como um país mais justo e desenvolvido que não passe pelo serviço público. E não há caminho para o avanço dos nossos serviços públicos que não passe pelo cuidado, valorização e gestão das pessoas que os entregam.

Em 2022, construímos as bases do que vai nos embalar em 2023. Criamos novos espaços ricos em conteúdo, lançamos notas, dados, livros e documentários, publicamos artigos, promovemos eventos, apoiamos o desenvolvimento de profissionais públicos, fortalecemos o ecossistema de gestão de pessoas em governos, apoiamos a transição de governo fornecendo propostas para fortalecimento da capacidade administrativa do país, valorizamos os profissionais públicos, criamos conexões e trabalhamos junto a governos, organizações da sociedade civil, acadêmicos, especialistas e incontáveis grandes parceiros. Em novembro, recebemos na casa da República.org na Flip (RJ) o escritor e servidor público do Incra Itamar Vieira Jr., que diz, em sua obra Torto Arado, que “se o ar não se movimenta, não tem vento, se a gente não se movimenta, não tem vida“.

Em 2023, vocês podem esperar da República.org mais movimento e mais vida. Obrigada por nos acompanhar em 2022, boas festas, feliz ano novo e até o ano que vem!

Um grande abraço,

Helena Wajnman
Diretora executiva

Nossos destaques em 2022

Foto: Meta Filmes.

Pessoas e projetos que transformam — A quinta edição do Prêmio Espírito Público foi também a primeira edição presencial do evento em dois anos. E que emoção promover encontros e reencontros entre agentes públicos que fazem a diferença na vida dos brasileiros. 27 finalistas, vindos de todas as regiões do Brasil, se reuniram em novembro no cinema Estação NET Rio (RJ) para celebrar seus feitos e trajetórias. Dessa turma, cinco servidores e quatro iniciativas de diferentes áreas do serviço público foram laureados pela premiação nacional.

Cooperação chilena — Com a volta das atividades presenciais, concretizamos o aprendizado em gestão pública dos vencedores do Prêmio Espírito Público nas edições de 2020 e 2021. Em setembro, o time da República.org conduziu um grupo de 30 profissionais públicos brasileiros para um ciclo de palestras em Santiago, no Chile. O intercâmbio contou com a participação de acadêmicos e lideranças governamentais do país vizinho, e aprofundou discussões sobre temas como alta direção pública e governo digital.

Foto: Divulgação.

Potencial humano — Ao lado de importantes instituições de ensino do Brasil e do mundo, a República.org investiu no desenvolvimento de gestores e líderes públicos, e contribuiu para promover um ecossistema de qualificação entre aqueles que olham pelas pessoas no complexo dia a dia do serviço público.

Em outro ano frutífero junto à Hertie School (Alemanha), oferecemos bolsas de estudo para programas de mestrado, visitas de pesquisadores brasileiros e certificados de RH estratégico. Com o Insper, e por meio da Parceria Vamos (que engloba, além da República.org, a Fundação Lemann e o Instituto humanize), estreamos em outubro o Programa Executivo em Gestão de Pessoas no Setor Público.

Na esfera da Vamos, no mesmo período, colocamos em prática a terceira edição do Programa de Formação em Gestão de Pessoas, da Fundação João Pinheiro.

Foto: Clara Cosentino.

Burocracia criativa — Na Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura Rio de Janeiro (RJ), a Residência Artística no Setor Público, a RASP, fixou morada no último ano. A terceira edição do projeto — iniciativa que reúne a República.org, o Instituto Betty and Jacob Lafer e a produtora Automatica — recebeu a cineasta Anna Costa e Silva e o ilustrador Rafa Éis para vivências nas repartições da pasta e a apresentação de experiências artísticas que ajudaram a inspirar o trabalho dos agentes públicos.

Fortalecimento do setor — Na companhia da Vamos, articulamos ações estratégicas de apoio a governos em todas as regiões brasileiras, com o objetivo de incentivar a implementação de práticas e políticas de atração, desenvolvimento e retenção de lideranças aptas a oferecer serviços públicos atraentes e efetivos à população.

Rede de líderes — Com o apoio da República.org, entre outras organizações dedicadas a promover um Brasil mais justo, o programa anual da Universidade Columbia (EUA) voltado às brasileiras líderes da gestão pública, do setor público e do terceiro setor recebeu a quarta turma em 2022. Idealizada para fortalecer as Organizações da Sociedade Civil, a comunidade SimbiOsc, apoiada pela Vamos, abriu, por sua vez, a segunda temporada de trocas de experiência e aprendizados.

Foto: Divulgação.

Com a palavra, os especialistas — Projeto editorial lançado pela República.org em 2022 para ampliar o debate sobre o papel e a importância da gestão de pessoas no setor público, a República em Notas produziu mais de 70 conteúdos. Séries temáticas de artigos, colunas e notas técnicas, assinadas por respeitados profissionais da administração pública, abordaram diversidade, orçamento público, diplomacia, compras públicas, direito administrativo, burocracia do nível de rua, gestão ambiental, tecnologia, saúde e educação — só para citar alguns temas.

Infográficos — A gestão de pessoas baseada em dados deu o tom na República em Dados, outra recém-chegada sessão do site do instituto. Cinco amplos estudos analisaram e traduziram para todos os públicos informações sobre quem são os profissionais do serviço público brasileiro: “Quem cuida do nosso meio ambiente?“, “A visibilidade da população LGBTQIA+ nos instrumentos de planejamento do Estado brasileiro“, “Panorama das candidaturas de servidores públicos: 20 anos de eleições estaduais e federais no Brasil“, “Candidaturas de servidores públicos no Brasil: partidos políticos e taxa de sucesso” e “Onde estão os negros do serviço público?“.

Opinião — Porta-vozes e conselheiros da República.org tiveram artigos publicados pelos principais veículos de imprensa no país e examinaram temas como gestão de desempenho, governança pública e valorização dos servidores.

Transição — Organizada pela República.org com a consultoria de especialistas da gestão pública, a publicação Propostas para fortalecer a capacidade administrativa dos governos (2023-2026) (faça download), lançada em agosto, entregou um conjunto de recomendações ligadas ao aprimoramento de concursos públicos, o redesenho de carreiras e salários, a promoção da equidade racial e de gênero, entre outros campos fundamentais para quem quer pensar o presente e o futuro da gestão de pessoas no setor. O material foi apresentado pelo instituto a representantes do GT de Planejamento, Orçamento e Gestão da transição de governo.

Mesas de ideias — Em novembro, a República.org buscou novas paisagens para o debate sobre governança pública: com uma casa inédita na Festa Literária Internacional de Paraty (RJ), a Flip, o instituto organizou uma série de encontros entre escritores premiados que dedicam suas vidas também ao serviço público — entre eles, a vencedora do Nobel de literatura Annie Ernaux (França) e soteropolitano Itamar Vieira Jr. (funcionário do Incra e autor do fenômeno editorial Torto Arado). No espaço, coube ainda a pré-estreia de livros como A Construção de um Estado para o Século XXI, de Francisco Gaetani e Miguel Lago, editado pela Cobogó, em parceria com a República.org.

Foto: Luciana Serra.

Educação pública — Produzido pela Folha de S.Paulo, em parceria com a República.org, o documentário Desconectados (assista no YouTube) fez um retrato sobre os efeitos da pandemia no ensino público. Dirigido pelos repórteres Pedro Ladeira e Paulo Saldaña, e pela cineasta Ana Graziela Aguiar, o longa acompanha a reabertura de escolas públicas e a relevância de professores e diretores para a reintegração dos estudantes com a sala de aula. Antes da estreia na internet, em setembro, o filme teve exibições gratuitas (e lotadas) em cinemas pelo Brasil.

Mobilização — Em 2022, seguimos marcando presença em fóruns e conferências de criatividade, diversidade e inovação na gestão pública, no Brasil e no exterior. No mês de março, a Vamos apoiou o Congresso Consad, realizado em Brasília (DF) — ocasião em que o empreendedor social e diretor de cinema Guilherme Coelho, fundador da República.org, recebeu a medalha Mérito Consad por sua atuação em defesa da boa governança pública.

Passamos também, em setembro, pelo Fórum Nacional de Secretários de Estado da Administração (onde apresentamos nossas propostas para fortalecer a administração pública) e, em novembro, pelo Fórum Consad Express — encontros igualmente apoiados pela Vamos. Em agosto, a República.org apoiou e participou da Semana de Inovação, realizada pela Enap.

Fora do país, nosso instituto apoiou os congressos globais Brazil Summit Europe, idealizado por bolsistas da República.org no campus da Hertie School, em Berlim, e Brazil Forum UK, que ocupou a Escola de Governo Blavatnik, da Universidade de Oxford.

Cena do documentário “Desconectados”.

Jornalismo — A fim de estimular a cobertura jornalística sobre o serviço público brasileiro, desmistificar questões relacionadas ao funcionalismo público e elucidar temas da gestão pública, a República.org apoiou a série especial do A Serviço do Público, do Nexo, e o núcleo editorial Vida Pública, da Folha de S.Paulo. Com completa independência editorial, os veículos publicaram matérias, entrevistas, gráficos, artigos de opinião, entre outros conteúdos que falaram sobre diversidade, salários, estabilidade profissional e inovação no contexto da gestão pública.